URBITÁ - Urbanizadora Paranoazinho

Sobradinho, DF

 

28 ha

11000 habitantes

URBITÁ: Conceito em planejamento urbano

A cidade URBITÁ vem sendo concebida há 10 anos como uma nova centralidade para Brasília, provedora de emprego, renda, valorização e qualidade de vida para a população da Saída Norte do DF.

Em agosto de 2016 a RHUMB foi convidada a integrar essa distinta equipe, com o desafio de idealizar uma infraestrutura que estivesse de acordo com os padrões de sustentabilidade, vanguardismo e excelência exigidos pela UP em todos os aspectos da cidade URBITÁ. Soluções integradas, inovadoras, completas e seguras já renderam a aprovação do projeto no Conselho de Planejamento Urbano do Distrito Federal (CONPLAN) e continuarão a ser implementadas ao longo das próximas etapas de desenvolvimento, com o propósito de tornar a infraestrutura da cidade URBITÁ sinônimo de eficiência, sustentabilidade e segurança.

Projetos desenvolvidos

Abastecimento de Água

Pavimentação e Geométrico

Esgotamento Sanitário

Drenagem Urbana e Estudo de Capacidade Fluvial

Soluções sustentáveis por meio de processos integrados

Tendo em mente a responsabilidade ambiental, social e econômica proposta pela UP, a infraestrutura elaborada para a cidade URBITÁ se pautou na excelência e na sustentabilidade, desde a concepção inicial do projeto até a seleção dos materiais mais eficientes. 

Para atender à complexidade das soluções requeridas com precisão e eficiência, as diversas disciplinas de projetos foram desenvolvidas de forma integrada, em plataforma BIM. Dessa forma, garantimos qualidade e congruência dos projetos com a realidade, possibilitando confiança nos resultados, segurança no planejamento e agilidade na execução.

Estima-se que a cidade URBITÁ apresentará uma redução da perda de água na ordem de 60%

Estima-se que a cidade URBITÁ apresentará uma redução da perda na distribuição de água na ordem de 60%, quando comparada aos padrões da região. De acordo com a CAESB, o índice de perdas de água verificado em Sobradinho é de aproximadamente 25%. Entretanto, esperam-se perdas de apenas 10% na distribuição de água da cidade URBITÁ.

 

Dentre as razões para tal, se evidencia o uso da tecnologia BIM. Por meio dessa metodologia, se possibilita uma maior análise de interferências no projeto, segurança nos cálculos e precisão na implantação do empreendimento.

Além disso, vale ressaltar o desenvolvimento do sistema de produção hídrica por meio de projetos sustentáveis e tecnológicos, que englobam desde a extração e adução, até o tratamento, reservação e distribuição de água.  Dentre as soluções, destaca-se a proposta de sensores, automação e dispositivos de última geração, com o intuito de garantir operação e manutenção eficientes à CAESB. Ainda, a setorização dos anéis de distribuição da cidade permite um maior controle das vazões veiculadas, o que facilita o controle e identificação de perdas aparentes, como ligações clandestinas ou não cadastradas.

 

Por fim, o PEAD, material proposto para o empreendimento, apresenta incidência de pontos de vazamento significativamente menor se comparado ao PVC (utilizado nas demais redes locais), o que permite uma redução considerável nas perdas de água.

Além disso, a cidade Urbitá também pretende garantir reduções no consumo de água interno. As edificações serão estimuladas a fazer o uso racional da água, implicando numa redução do consumo de água potável para fins menos nobres.

Sistema de Drenagem Urbana Sustentável

Para atender às modificações no ciclo hidrológico de maneira inovadora e eficaz, foi idealizado um Sistema de Drenagem Urbana Sustentável para a cidade Urbitá, em detrimento do Sistema de Drenagem Urbana Tradicional.

Hyper Pavilion Lawn
New York, USA
Drenagem Sustentável NY

A abordagem tradicional baseia-se em estruturas robustas, que buscam reduzir o escoamento superficial o mais rápido possível, por meio de elementos já conhecidos, como sajetas, bueiros, tubos de concreto e emissários. Contudo, essa alternativa tem se demonstrado deficitária em diversos contextos. Casos de erosão, alagamento e picos de vazão são cada vez mais recorrentes em projetos que adotaram essa metodologia.

Já a alternativa sustentável se baseia em novas tecnologias que visam facilitar a infiltração de água no solo e retardar o escoamento remanescente, tudo isso enquanto se mistura com o ambiente ao seu redor. Entre os elementos que a compõe, destaca-se o uso de telhados verde, jardins de chuva, poços e valas de infiltração, bacias de retenção, jardins de cobertura, etc. Essa abordagem tem demonstrado ótimos resultados em drenagem urbana, e tem sido cada vez mais adotada em cidades como Nova York, Tokyo, Bilbao e Shangai.